• Luciano de Souza Santos

A psicoterapia na saúde mental

Atualizado: Mai 1




Em algum momento da vida, situações de sofrimento intenso são inevitáveis. A sensação de que está perdendo o controle da própria vida e da própria existência é enorme que, a rotina e simples tarefas diárias acabam sendo influenciadas e impossibilitadas de serem realizadas. Entretanto, com a psicoterapia, podemos ter o controle de como gostaríamos de agir e enfrentar as situações de maior dificuldades.


O termo psicoterapia, se refere a um método de tratamento psicológico exercido por um psicólogo treinado, graduado e com registro no seu respectivo Conselho de classe, que tem como objetivo auxiliar as pessoas a lidarem de forma saudável com dificuldades e sofrimentos, que podem se manifestar de diferentes formas, tanto físico quanto emocional [1]. Durante esse processo psicológico, o psicólogo, a partir da aplicação de seus conhecimentos e técnicas, convida o paciente a repensar suas experiências, seus comportamentos e sua forma de interpretar e interagir com o mundo, o outro e si mesmo.


Mudar a percepção da realidade e reinterpretar os acontecimentos da vida real contribui para a melhor aceitação do mundo externo. À medida que o psicólogo leva o paciente a pensar de diferentes perspectivas, este vai reconstruindo e ressignificando suas experiências de vida.


Conhecer e compreender a si mesmo, implica no entendimento dos seus padrões de comportamento, de sentimentos e de pensamentos, o que proporciona maior compreensão de sua própria identidade. Se conhecer e construir uma auto imagem adequada, são condições necessárias para que se viva de forma equilibrada e saudável.


A psicoterapia, ao proporcionar o autoconhecimento e a aprendizagem de como lidar com os problemas, os sofrimentos e as emoções, acaba fortalecendo a estrutura emocional do paciente, isso resulta em bem estar e qualidade de vida. O autoconhecimento, possibilita mudança na forma de o paciente agir diante de certas situações. Isso facilita a resolução de problemas, que antes do tratamento, causava sofrimento e angústia.


Em um estudo realizado, com o objetivo de identificar a percepção de melhora de pacientes em tratamento psicoterápico, foi levantado os seguintes benefícios: melhora da auto estima, do humor, do conhecimento pessoal, da tomada de decisões, da resolução de problemas, das funções executivas e da capacidade cognitiva de modo geral, como por exemplo a atenção e a memória. Estes aspectos aumentam a qualidade de vida e proporcionam bem estar [1,2].


A psicoterapia não faz distinções, seja você adulto, idoso, criança, com condições financeiras ou não e do gênero que for. Psicoterapia é para todos. Se você decidiu buscar ajuda ou apoio, através da psicoterapia, eu preciso lhe parabenizar. Esta é uma escolha difícil, em meio a um período da vida em que o sofrimento e as angústias parecem não ter fim. Mas, é o passo mais importante para uma vida mais saudável. Quando se decide buscar auxílio de um profissional, você está superando barreiras internas e/ou externas e admitindo para si mesmo que você tem problemas e que sozinho não consegue resolver [3].


Não esqueça. Psicoterapia é só com psicólogo. Pesquise as qualificações e busque referências do psicólogo que você escolheu para ajudar a cuidar de você. No site do Conselho Federal de Psicologia, existe uma lista com os dados de todos os profissionais registrados e aptos a exercerem a profissão. Sua saúde mental e emocional é muito importante, por isso, cuide dela com afeto e responsabilidade.


Referências:


1. Mondardo, Anelise Hauschild, Piovesan, Laís, & Mantovani, Paulina Cecilia. (2009). A percepção do paciente quanto ao processo de mudança psicoterápica. Aletheia, (30), 158-171. http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-03942009000200013&lng=pt&tlng=pt


2. Fronza, Joice Laíse, & Pillatt, Ana Paula. (2018). Tratamentos psicológicos para idosos com doença de alzheimer: uma revisão narrativa. Psicologia, Saúde & Doenças, 19(3), 764-775. http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862018000300023


3. Julianna Pereira Ramos, Berardinelli, Lina Marcia Migueis, Cavaliere, Maria Lucia Alves, Rosa, Regina Celi Alves, Costa, Luciene Pires da, & Barbosa, José Silvio de Oliveira. (2019). O cotidiano de mulheres com fibromialgia e o desafio interdisciplinar de empoderamento para o autocuidado. Revista Gaúcha de Enfermagem, 40, e20180411. Epub September 30, 2019. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983-14472019000100431



#sensesaude #suamelhorversao #procureumpsicólogo #terapiacognitivocomportamental #tcc #psicologiaporamor #psicoterapia #saudemental #psicologiaclinica #psicologia #neuropsicologia #viverbem #bemestar

​© 2019 por SENSE | Espaço Integrado de Psicologia e Saúde